Buenos Aires – Argentina

A photo posted by Boralá (@boralablog) on

Buenos Aires
A Capital Argentina



 

Nossa última passagem pelo Uruguai foi na cidade de Colonia del Sacramento, a primeira semana do mochilão que nos fortaleceu para começar a explorar a terra dos nossos queridos hermanos argentinos.

Nossa chegada foi diretamente pela charmosa capital Buenos Aires. Com seus três milhões de habitantes (14,5 milhões a grande B.A.), Buenos Aires é uma das cidades mais populosas da América do Sul, localizada as margens do Rio de La Plata, uma fronteira natural entre Argentina e Uruguai.

Nós ficamos apenas 5 dias em Buenos Aires – o que foi pouco para desfrutar das riquezas históricas e culturais da cidade – por conta disso, tivemos que montar um roteiro estratégico, o que nos permitiu ver o que a cidade tem de melhor e um pouco mais.

 

Como chegar

O que não faltam são opções para chegar à capital Argentina. É possível chegar por meio terrestre, marítimo, ferroviário e aéreo, é claro.

Se pretender ir de Montevidéu para Buenos aires, o melhor combo é: ônibus e balsa. De Montevidéu até Colonia de ônibus e a travessia de Colonia pela Argentina de balsa. É a maneira onde você salvará dinheiro.

Como estávamos em Colonia del Sacramento, então a melhor opção foi pegar a balsa saindo do porto de Colonia até o porto de Buenos.

Ônibus não é recomendado pois a viagem é mais longa, mas para quem precisar, a empresa Condor faz o trajeto. A linha é Montevidéu / Buenos Aires mas passa por Colonia del Sacramento.

 Transporte

   Colonia del Sacramento → Buenos Aires

– balsa: Colonia Express 
– valor: R$ 110 reais / 970 pesos
– tempo: 1 hora

 

Vale saber

A Colonia Express também tem saídas diretamente de Montevidéu para Buenos Aires, o trajeto leva 3 horas

Embarcamos com a Companhia Colonia Express, o barco até que era confortável, escolhemos eles por serem os próximos a partirem.

A viagem levou uma hora, um pouco longa pra quem tem problemas com o barco chacoalhando, mas não foi nada sério.

 

Exitem outras duas empresas que fazem a travessia, a Busquebus e a Seacat . Entre as 3 companhias a mais barata é a Seacat só não embarcamos pois a próxima partida deles seriam em 2 horas e nós queríamos ir logo para Buenos Aires.

Seacat é a melhor opção por 3 motivos:

  1. É a mais barata das 3 opções
  2. Permite você a trocar sua passagem ou até mesmo cancelar sem custos adicionais
  3. É operada por Busquebus, então com a metade do valor você tem o mesmo serviço
Vale saber

Buenos Aires tem uma hora a menos que o Uruguai

 

Onde ficar

Nós optamos por ficar as três primeiras noites em um hostel no bairro San Nicolas, o Hi Hostel Suites Florida o, cuja organização é exemplar. O hostel tem estrutura de hotel, e mesmo com suas 300 camas, conserva o clima descontraído de um hostel. 

O Hostel Florida está localizado no calçadão da Calle Florida, rua comercial mais importante da Argentina. Além da já boa  infra organização exemplar, o hostel oferece diversas atividades para seus hospedes, às vezes com descontos especiais. Para mais informações, consulte o calendário semanal do hostel.

Existem outros dois hostel suites em Buenos Aires, o Suites Obelisco também em San Nicolas e o Suites Palermo Suites Palermo.


Veja mais

 hospedagem em Buenos aires

Lembre-se, sempre filtre sua busca. Fique de olho nas promoções e
cancelamento grátis. Não deixe passar, reserve!


 

À noite, o subsolo vira o badalado Fusion Bar, com muito movimento e pessoas de toda parte do mundo e claro, muita risada e amizades. O mais legal é que de manhã, o mesmo lugar que na noite anterior funcionava um bar, vira a área para os hospedes tomarem café da manhã, como se nada tivesse acontecido.

 

hi-hostel-suites-florida-buenos-aires
Hi Hostel Suites Florida – crédito: Claudia B.

A ideia era depois irmos para Mar del Plata, mas a previsão do tempo com muita chuva no litoral nos desencorajou. Com isso, resolvemos esticar nossa estada na capital Argentina em mais duas noites, dessa vez num lugar mais histórico, sendo assim fomos para San Telmo, e a partir disso dividimos nossa estadia em dois textos sobre Buenos Aires.

Essas duas últimas noites em San Telmo foram no Ostinatto Hostel. Já o conhecíamos o Ostinatto, pois era parceiro do Sunset Hostel – lugar onde tive o prazer de gerenciar em 2010/2011 quando moramos em 2010 Floripa – .

Com um design bem interessante, a arquitetura interior do Ostinatto chama muito a atenção. Do primeiro andar, olhando a partir da recepção damos de cara com cinco pisos e passarelas suspensas cruzando em varias direções.

O edifício é centenário e conta com 66 quartos e com um belo elevador de ferro à moda antiga, enfim, só visitando para conhecer melhor. 

Um ótimo bar completa as instalações do hostel, e foi lá que experimentamos a mais deliciosa cerveja argentina, uma IPA  da cervejaria Antares. Na verdade, o Ostinatto encarna o espírito backpacker perfeito.

O legal foi que, nos hospedando nesses dois bairros, estávamos perto dos melhores pontos turísticos de Buenos Aires, e quando não, era muito fácil a locomoção até outros pontos da cidade.

 

O que fazer

Assim como fizemos com a hospedagem, dividimos o que fazer e os atrativos de Buenos Aires em duas parte, pensando na logística e no ponto de partida para cada hostel. Centro e sul, além de dicas de lugares para conhecer partindo de qualquer ponto da cidade. 


Centro
San Nicolas – Monserrat  – Puerto Madero


 

obelisco-centro-de-buenos-aires-argentina
Centro de Buenos Aires – crédito: Lucas CN

– San Nicolas / Monserrat

Juntos, os bairros históricos de San Nicolas e Monserrat formam o centro de Buenos Aires, onde se concentra o poder politico, financeiro e religioso da cidade. Por conta disso, há uma variedade significativa de atrativos nessa região.

Do Hostel Florida é possível fazer muita coisa a pé, pois sua localização é no coração de tudo. Estão prontos para a caminhada?

 Pra começar ou terminar o dia, o famoso Café Tortoni. No estilo vienense, aberto desde 1858 é um dos mais antigos e famoso cafés da América do Sul. Quem não gosta de um cafezinho acompanhado de media lunas (croissant)?

 A Plaza Lavalle, onde se encontra o Palacio de Tribunales e o opera Teatro Colon

cafe-tortoni-buenos-aires
Cafe Tortoni – crédito: Claudia B.

 A Plaza de la Republica onde há o famoso Obélisco de Buenos Aires. O obelisco fica na interseção das Avenidas 9 de Júlio e Corrientes com Avenida Presidente Roque Saenz Pena que nos leva diretamente a  proeminente Plaza de Mayoque está na divisa dos bairros San Nicolas e Monserrat, onde encontramos:

  • Casa Rosada, onde governa o poder executivo da Argentina. A cor rosa vem de sangue de vaca que era misturado com a tinta para fixá-la
  • Catedral metropolitana de Buenos Aires, onde se encontra o mausoléu do Gen. José de San Martin, liberador da Argentina, do Chile e Peru
  • Cabildo, um dos únicos prédios da antiga arquitetura colonial. O prefeito  Torcuato de Alvear (1883-1887) ordenou a demolição dos prédios antigos porque queria a cidade no estilo europeu, com grande influência francesa.
  • Todas às quintas-feiras, às Madres desfilam na Plaza de Mayo, em memória às crianças  que sumiram na ditadura militar dos anos 70
  • monumento do General Manuel Belgrano, uma das principais figuras – junto com o General San Martin – da Guerra da Independência do país, concluída dia 9 de Júlio 1816.

– A Manzana de las Luces «quarteirão». Complexo histórico composto de prédio colonial, colégio jesuíta (século XVII), Biblioteca Nacional da Argentina, Universidade de Buenos Aires, entre outros.

Vale saber

O hostel Suites Florida organiza citytours com preços muito baixos para seus hospedes.

O guia nos deu muita informação sobre a história e nos ajudou a entender a Buenos Aires contemporânea. O tour termina com uma apresentação de tango em um restaurante de San Telmo (ps: o consumo não estão inclusos no pacote)

 

plaza-de-la-republica-obelisco-buenos-aires
Plaza de la Republica, Obelisco – crédito: Lucas CN
casa-rosada-buenos-aires-argentina-mochilao
Casa Rosada – crédito: Claudia B.
las-madres-plaza-24-de-mayo-belgrano
Marcos da história – crédito: Claudia B.
manzana-de-las--buenos-aires
Manzana de las Luces – crédito: Claudia B.

– Puerto Madero

Puerto Madero é o bairro mais novo de Buenos Aires. Essa área portuária foi construída no fim do século XIX, segundo os planos do comerciante Eduardo Madero. Infelizmente, o porto se tornou obsoleto depois de somente 10 anos de operação, devido ao tamanho dos barcos, cada vez maiores.

Dica

Ir ver o  pôr do sol que de lá é espetacular!

Depois de ter passado por um período de abandono, o bairro foi revitalizado nos anos 2000. Agora é ocupado com barcos-museus, bares, restaurantes e a moderna Puente de la Mujerconstruída em 2001. Puerto Madero é um lugar lindo e tendência.

por-do-sol-puerto-madero-buenos-aires-argentina
Puerto Madero – crédito: Claudia B.

 


Sul
San Telmo – La Boca


 

san-telmo-la-boca-buenos-aires-argentina
San Telmo / La Boca – crédito: Claudia B.

 

– San Telmo

De certa maneira, foi ótimo o tempo estar ruim para ir para Mar del Plata, pois ficar em San Telmo foi o máximo. Muita História envolvida nesse bairro, o mais vivo, e de maior riqueza artística e cultural, sem dúvida. Viva San Telmo!

Todo domingo no bairro de San Telmo tem a Feira de San Telmo, algo que não se pode perder. Creio que o maior mercado de pulgas da América do Sul.

Seu coração é oficialmente a Plaza Dorrego, mas muitas barracas de artesanato, roupas, comida, dentre outras coisas, se estendem por grande parte da Calle Defensa. Certeza de grandes achados, inclusive compramos muitas coisas que nem precisávamos só para não perder a oportunidade.

Um ponto a nosso favor: foi lá nessa feira que compramos a capa de couro do nosso diário do mochilão pela América do Sul.

Uma vez na Plaza Dorrego, porque não ir para um dos muitos restaurantes que oferecem performances de tango? Afinal, foi lá que nasceu a tradicional dança argentina (famosa somente ao Sul da cidade porteña).

Nesse caminho também tem a Casa Mínima – menor e mais estreita casa de Buenos Aires – próxima ao convento de San Francisco.

la-casa-minima-buenos-aires-argentina
La casa minima – crédito: Lucas CN
feira-de-san-telmo-buenos-aires-argentina
Feira de San Telmo – crédito: Lucas CN
feira-de-san-telmo-buenos-aires-argentina
Feira de San Telmo – crédito: Claudia B.
artistas-de-rua-san-telmo-buenos-aires-argentina
Artista de rua, San Telmo – crédito: Lucas CN

 

– La Boca

Dicas

Por segurança nunca sair da zona turística, voltar de taxi e não ficar depois das 18 horas

La Boca não é uma área muito segura para turistas, no entanto tem os principais pontos turísticos para visitar. Assim, é aconselhável  voltar de táxi ao invés de caminhar ou pegar transporte público.

No bairro La Boca fica localizado a La Bombonera, a cancha (estádio) do Boca Junior’s. Você certamente sabe que Diego Maradona jogou lá e hoje é idolatrado como um deus. Com 80 pesos é possível visitar o estádio, o museu do futebol e caminhar nos corredores e vestiários.

Perto da La Bombonera temos o El Caminito, rua famosa por suas cores, onde o tango é onipresente e os restaurants tem preços mais elevados, porque a maioria deles conta com apresentações de músicos e dançarinos. Já souvenirs e artesanatos tem preços acessíveis.

el-caminito-la-boca-buenos-aires-argentina
El Caminito – crédito: Lucas CN
republica-la-boca-buenos-aires-argentina
La Boca – crédito: Lucas CN
la-bombonera-boca-jr-buenos-aires-argentina
Museu do Boca Jr. – La Bombonera – crédito: Lucas CN

Palermo – Recoleta


– Palermo

Palermo é o maior bairro da capital, e também o mais afastado do centro. A melhor opção para chegar até lá é pegar um táxi. 

O bairro é muito conhecido pela vida noturna, lugar muito procurado nas noites de Buenos Aires, principalmente nos finais de semana (Palermo está para Buenos Aires mais ou menos o que a Vila Madalena está para São Paulo). 

Foi o lugar onde escolhemos para curtir a nossa sexta-feira. O taxista – acostumado com os turistas à procura de festa – nos deixou na Plaza Serrano, no Palermo Soho (subdivisão do bairro), que leva esse nome pois há quem diga que é parecido com Soho, de Nova York. Quem conhece os dois bairros pode tirar suas próprias conclusões.

Em Palermo há diversos parques, museus, lojas e galerias, mas é com os cafés, restaurantes, bares e baladas que se destaca noite a fora. O lugar é bem animado, com mesas invadindo a calçada, e muita música.

Para quem quiser e puder gastar, é o paraíso. Várias boutiques de grifes fazem a alegria dos turistas, que vão com outro intuito a Palermo, que não foi o nosso caso, mas nos divertimos muito!

Se for para Buenos Aires, não deixe de passar por lá.

– La Recoleta

Também afastado do centro, o táxi foi o escolhido para visitar esse destino. Considerado um dos lugares mais chiques da capital argentina, o bairro abriga grandes mansões e hotéis de luxo, além de ter muita história encravada na redondeza.

Com pouco tempo em Buenos Aires, nós tivemos somente o tempo de conhecer a atração principal de Recoleta, o cemitério. Isso mesmo, o cemitério de la Recoleta é um dos grandes atrativos de Buenos Aires, pois várias pessoas famosas estão enterrados lá.

O mausoléu mais visitado é da famosa e sem surpresa, Évita Peron, a esposa do ex-presidente Juan Peron, que ainda é amada por grande parte do povo argentino.

cemiterio-recoleta-buenosaires-argentina
Cemitério de la Recoleta – crédito: Claudia B.

 

Quando ir

O ano todo!

No verão, na alta temporada (dezembro – fevereiro) a cidade tem muita vida, porém é mais cara. Já no inverno é muito frio, mas a capital transborda em charme. Os messes mais baratos são de abril até junho.

Se quiser um meio termo em temperatura e valor aconselhamos o outono (outubro – novembro), além de ser a época mais bonita com os jacarandas floridos e dando um toque roxo a cidade.

Temperatura média anual
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
°C 25 22 22 19 15 12 12 14 15 18 21 23
°F 77 72 72 66 59 54 54 57 59 64 70 73

@holiday_weather

Foram os maiores números de dias gasto e uma cidade em nosso mochilão, mas muito bem gastos! Valeu muito a pena ficar esses dias, ficaria até mais se fosse possível, mas já tinhamos passagem marcada para o fim do mundo, a Terra do Fogo.

Boralá pro Ushuaia


Leia mais

  Mochilão:  Uruguai / Argentina

  Punta del Este 

  El Calafate

Colonia del Sacramento

 Montevidéu


Compartilhar

12 COMENTÁRIOS

    • Legal, está ai mais duas dicas para os leitores!! 🙂 Na verdade não visitamos não nesses 5 dias na capital, mas é sempre bom saber mais e mais dicas.
      Obrigado!!

  1. Que legal! Saudade de Buenos Aires. Foi nossa primeira viagem internacional e tenho lembranças maravilhosas de lá. Amei teu post e as fotos me fizeram recordar tudo isso que vivi. Também amei demais Colônia, onde foi teu ponto de partida para a Argentina. Abraços!

  2. Já faz alguns anos que visitei Buenos Aires e não aproveitei metade das dicas que você compartilhou aqui neste post. Eu quero voltar, e certamente vou anotar algumas sugestões de vocês para aproveitar bem a cidade.
    Ah, e como quase todo mundo, essa foi a minha primeira viagem Internacional. Como esquecer, né?

  3. Nossa quantas informações interessantes, estou indo para a minha primeira viagem internacional sozinha em Julho este ano, irei passar primeiro por Montevideu, Punta Dele Este, Colonia Del Sacramento e por ultimo Buenos Aires. Gostei muito de todas as dicas aqui no blog. Estou montando o meu roteiro e se puderem dar mais algumas dicas agradeço 🙂
    Abraço.

Deixe sua crítica, comentário e mais DICAS se tiver. BORALÁ!!