Cavernas do Peruaçu
O diferente de Minas Gerais



 

Que o turismo no estado de Minas Gerais é sempre muito procurado pela riqueza gastronômica , religiosa e cultural que oferece, não é novidade.

Do ouro ao diamante, da simplicidade do povo à exuberância arquitetônica, dos rituais religiosos ate a natureza que relaxa, tudo em Minas Gerais convida e claro, com as cavernas, isso mesmo, grutas e cavernas, não poderia ser diferente.

Quando fomos convidados para compor um seleto grupo que conheceria um outro tipo de trip pelo estado das Minas, a curiosidade tomou conta, pois confesso aqui que não sabia da existência de tanta beleza debaixo da terra mineira” .

O itinerário incluía 4 parques estaduais e um parque nacional, que é sobre o qual escrevo aqui! Parque Nacional Cavernas de Peruaçu.

parque-nacional-cavernas-do-peruacu
Parque Nacional Cavernas do Peruaçu – crédito: Lu Aria

 

Como Chegar

Para conhecer o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, chegamos ao pequeno aeroporto da cidade de Montes Claros, Norte do estado de Minas.

De Montes Claro, seguimos mais 3 horas de carro, percorrendo 230km até chegar em Itacarambi. Itacarambi é a cidade mais próxima da entrada do Parque Nacional Cavernas de Peruaçu (quase 9 horas de Belo Horizonte), perto da divisa com a Bahia.

Onde Ficar

Em Itacarambi, descarregamos nossas bagagens na Pousada CamaleãoA pousada dispões de simples e acolhedoras instalações além de uma incrível vista do rio são Francisco.

Foi na pousada mesmo que conhecemos o Leidison, um guia local da agência RVC, que tornou-se ótima companhia para nossa aventura ate o Parque Nacional Cavernas do Peruacu que aconteceria na manhã seguinte.

pousada-camaleao-cavernas-peruacu
Pousada Camaleão – crédito: Lu Aria

Parque Nacional Cavernas de Peruacu

O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu é uma Unidade de conservação criada em 1999 que tem como objetivo a proteção de patrimônio geológico, arqueológico, de fauna e flora existentes nesta região.

Na manhã seguinte começou a aventura, seguimos o caminho para o parque que levou em torno de 1 hora até o ponto de onde começaríamos o tour pelo Parque Nacional.

Paramos na central que recebe os turistas que adentrarão ao parque para que com uma rápida orientação soubéssemos sobre a importância do local que visitaríamos em seguida.

Ao chegarmos na área do parque, nossa primeira parada foi na passarela que permite-nos apreciar de bem perto os desenhos rupestres de diferentes cores e traços, estes datam entre 7 e 9 mil anos, segundo explicação dada pelo nosso guia Leidison(um apaixonado pelo lugar que vive e pelo que escolheu fazer para viver).

pinturas-rupestres-cavernas-do-peruacu
Pinturas rupestres – crédito: Lu Aria

Os desenhos encontram-se em excelente estado de conservação e tem peculiaridades típicas de cada povo, ali, chamados de tradições. A estrutura física do parque e a atenção do guia merecem uma consideração especial.

Seguimos em caminhada certos de que seria um longo, proveitoso porém cansativo dia, haja visto que fomos preparados para 8 horas de visitação no parque.

Nossa próxima parada foi para apreciar a gruta do janelão, certamente foi o primeiro impacto em se tratando da imensidão diante dos nossos olhos. Do mirante com bancos perfeitos para curtir a paisagem é que nos vimos pequeninos diante de tamanha formação rochosa, digamos que o tal janelao mais parecia a entrada para o Jurassic Park, animador.

A descida começa, até a estrutura que nos permite observar o rio Peruaçu, convidativo, que corta a parte baixa do parque com sua cor esverdeada. Mergulhos não são permitidos pelo fato de ocorrência de possíveis alterações no curso natural do local.

Vale saber que o plano de manejo que preserva a natureza, a história e a cultura são muito marcantes além dos cuidados com a segurança do visitante.

Já da parte baixa, a conhecida claraboia do coração, deixa nosso passeio digamos mais apaixonante. A clarabóia do coração, é uma clareira que vista de baixo, forma um perfeito coração.

coracao-cavernas-peruacu
Cavernas do Peruaçu – crédito: Lu Aria

O impressionante desse roteiro é a quantidade de vezes que somos surpreendidos pela imensidão de um novo salão, a ponto de nos distrairmos e sequer darmos conta de que a trilha tem duração de 8 horas conforme citei anteriormente.

Os salões são repletos de diferentes formações e entre elas estão os espeleotemas, as estactites, estalagmites e as pequeninas e ricas chamadas pérolas, cada uma dessas nos fazem voltar a infância pois a todo momento nos surpreendemos imaginando diferentes objetos e seus formatos assim como fazemos com as nuvens.

cavernas-do-peruacu
Cavernas do Peruaçu – crédito: Lu Aria
parque-nacional-cavernas-do-peruacu
Cavernas do Peruaçu – crédito: Lu Aria

Chegamos ao ponto final de nossa descida e ao apreciarmos tudo ao redor, fizemos mais uma pausa para recarregar nossas energias, ali, lanchamos. Já sabíamos o que nos aguardava na volta, sabíamos que demandaria pernas fortes, pois de tanto descermos, a subida era inevitável.

O razoável condicionamento físico, pode fazer falta nesse momento, quase me fez, mas dei conta direitinho. Embora a subida seja ”puxada”, é tão bela que mal da tempo de pensar em se queixar. Dentre uma parada e outra para a respiração ofegante, os olhos não se cansam de apreciar tamanha beleza, já as pernas…

cavernas-do-peruacu-minas-gerais-p-nacional
Parque Nacional Cavernas do Peruaçu – crédito: Lu Aria

Enfim, a agradável surpresa em se tratando da visita ao Parque Nacional Cavernas do Peruaçu nos faz querer divulgar aos que, assim como nos, curtem a natureza e tudo de bom que ela pode oferecer.

Fica aqui nosso agradecimento enorme a Secretaria de Turismo do estado de Minas Gerais pelo convite para fazer parte dessa press-trip. Um agradecimento também as grandes companhias e risadas do pessoal do blog: Viagens Cine, Trilhas e Aventuras e revista Viajar pelo mundo.

press-trip=cavernas-peruacu
Galera da Press-Trip – crédito: Lu Aria
Compartilhar

4 COMENTÁRIOS

Deixe sua crítica, comentário e mais DICAS se tiver. BORALÁ!!