Cidade do Cabo
África do Sul

 

Se preparar para uma viagem inclui estar pronto para quebrar paradigmas, e ouvir as pessoas questionarem: ”África? O que você vai fazer na Cidade do Cabo?” foi o desafio que me impulsionou a ir ver de perto o que este lugar tinha a me oferecer. Percebam que são os desafios que me movem, então boralá.

Pessoas que nunca saíram de seus sofás se deram ao trabalho de pesquisar coisas negativas sobre o destino para me dar “conselhos.” Considerando a experiência delas, decidi buscar informações com pessoas que conheceram a África do Sul e tiveram impressões positivas do lugar.

Foi a partir do relato de um casal que me descreveu o lugar como imperdível, exótico e apaixonante que resolvi me jogar rumo a mais um continente, com a certeza de que muita coisa boa me aguardava para ser explorada na Cidade do Cabo.

A Cidade do Cabo é a segunda cidade mais populosa da África do Sul, ficando atrás somente de Johanesburgo, e é também conhecida como a terra dos Big Five (rinoceronte, elefante, leão, búfalo e leopardo) animais que representam o país.

o-que-fazer-na-cidade-do-cabo-africa-do-sul
Cidade do Cabo – crédito: Lu Aria

Como chegar

Em inglês Cape Town, em africânder Kaapstad e Kapa em xhosa (ambas línguas locais). Bem vindos a Cidade do Cabo, na África do Sul!

O voo saiu de São Paulo com destino a Johannesburgo, numa viagem com 12 horas e 30 minutos de duração. A companhia aérea que escolhemos foi a South African Airlines, que indicamos pelo bom atendimento, boa comida e modernidade das aeronaves.

 São Paulo     →    Johannesburgo
                                  8:30 horas                                  
Johannesburgo   →    Cidade do Cabo
2:10 horas
compania: South African Airlines
                           
onde-ficar-na-cidade-do-cabo-africa-do-sul
Dock Road – crédito: Lu Aria
Dica

Quando pensar em chamar um guia turístico, já pense num que também seja motorista, pois vale lembrar que lá a mão dos carros é inglesa e, para nós, alugar um carro sozinho pode ser arriscado

Onde Ficar

Cheryl Robertson foi a nossa guia na Cidade do Cabo, e nós recomendamos que você tenha uma para otimizar a viagem. Cheryl, além de nos apresentar lindos lugares, nos proporcionou o privilégio de degustar os mais incríveis vinhos sem que precisássemos nos arriscar nas tortuosas e paradisíacas estradas da região.

Ela já nos esperava no aeroporto para nos levar para o Bickley House, uma pousada um pouco diferente. Imagine algumas casas interligadas, uma mais moderna, outra bem antiga, mas tudo muito bem conservado, com área externa aconchegante e cozinha liberada para uso dos hóspedes, além, é claro, de estar bem localizado – mapa – em Sea Point a 2 quarteirões do calçadão, e o melhor, com preço de hostel, então o valor é bem acessível.

Vale ressaltar que Sea Point, embora seja pertinho do mar, não tem grande faixas de areia, praias para nós. É um bairro muito bom e populoso da Cidade do Cabo, que tem belos jardins beirando o calçadão, parques para caminhada e playground para crianças.

A localização de Sea Point é estratégica, pois está entre o centro e as praias. Saíamos de lá com aquelas famosas e divertidas vans tocando músicas típicas em alto e bom som.

Nós dividimos nossa estada em 2 lugares diferentes na Cidade do Cabo. Pela AirBnB alugamos um bom apartamento, localizado em uma das melhores praias da cidade, a Camp’s Bay, que lá significa morar bem. A vista perfeita, os bons restaurantes e o agito noturno fazem a boa fama do lugar.

Vale saber

Ao falar para os taxista que está hospedado em Camp’s Bay, eles vão tentar cobrar um valor diferenciado e mais alto, pois concluem que você tem grana. Então já tenha o valor em mente para negociar ou use o Uber

the-cape-wheel-cape-town
The Cape Wheel – crédito: Lu Aria

O que fazer

– Cidade do Cabo

Para todos que, antes da partida, me questionaram sobre o que tem para fazer na Cidade do Cabo, aqui vai a lista de coisas incríveis deste lugar:

Não há como não associar Africa com safári. Quando voltei dessa viagem, o safári foi o maior interesse das pessoas, muitas me perguntaram como era, qual a sensação de ver a vida da savana africana. Leia mais sobre aqui: Safari na Africa do Sul.

A Cidade do Cabo foi reestruturada para sediar o Mundial de 2010 e, para isso, sua área portuária foi revitalizada, se transformando numa linda e rica área voltada para o turismo, chamada de WaterFront. Pra quem quiser fazer compras, a V&A Waterfront conta com lojas de grife que enchem os olhos, além dos ótimos restaurantes. 

A rua principal da Cidade do Cabo chama-se Long Street e sua continuação dá na Kloof Street, onde encontramos muito artesanato local, além de restaurantes típicos que servem, inclusive, um menu de degustação de carnes consideradas exóticas para nós, que aproveitamos para provar tudo isso no Gold Restaurante.

Ha um bairro conhecido como Bo Kaap que abriga casas coloridas habitadas por muçulmanos que vivem na Cidade do Cabo. O bairro é muito tranquilo e situado na região central da cidade.

Uma das principais atrações está localizada na Península do Cabo, o Cabo da Boa Esperança. O caminho já é, por si só uma atração, tanto pelo visual quanto pelos babuínos que invadem a pista em busca da cortesia dos turistas. Algumas placas nos alertam para o perigo e não nos enganarmos com as caras amigáveis dos bichinhos. Uma vez visitando Cabo da Boa Esperança, não deixe de subir ao ponto mais alto, seja de funicular ou pela trilha.

o-que-fazer-na-cidade-do-cabo-africa-do-sul
Safaria, Cidade do Cabo – crédito: Lu Aria
o-que-fazer-na-cidade-docabo-waterfront-cidade-do-cabo-africa-do-sul
Safaria, Waterfront – crédito: Lu Aria
artesanato-o-uqe-fazer-na-cidade-do-cabo
Artesanato sul africano – crédito: Lu Aria
bo-kaap-street-cidade-do-cabo
Bo Kaap – crédito: Lu aria
boulders-beach-africa-do-sul
Artesanato, Boulders beach – crédito: Lu Aria

– Picos e Trilhas

o-que-fazer-na-cidade-do-cabo-12-apostolos
12 apóstolos – crédito: Lu Aria

Diversas trilhas estão espalhadas nos arredores da Cidade do Cabo, elas nos levam a diversos lugares diferentes. Da parte alta da cidade temos a vista mais primorosa, lembrando que a Cidade do Cabo é conhecida por seu relevo similar à nossa Cidade Maravilhosa, muito embora suas trilhas sejam bem mais pesadas que as do Rio de Janeiro.

O relevo da cidade africana é composto por:

–  Twelve Apostles
– Table Mountain  .
– Lion’s Head
– Signal Hill

Para quem prefere mais comodidade, um teleférico nos leva até o Parque Nacional da Table Mountain, que é uma ótima opção para chegar ao cume. O bondinho é amplo, giratório e muito tranquilo, pois gira bem devagar.

Table Mountain é aberto para que os turistas possam desfrutar da bela paisagem até a chegada ao parque. Lá, você encontra um Parque Nacional super estruturado, com restaurante e loja de souvenirs, além da exuberante vista!

Assim como o Rio de Janeiro, a Cidade do Cabo está entre o mar e as montanhas. Uma dessas montanhas é a Lion’s Head, a subida do morro não é das mais difíceis no começo, mas à medida que o topo se aproxima, a dificuldade aumenta, vale ressaltar que a estonteante paisagem compensa qualquer sacrifício. Recomendamos!

Para chegar em Lion’s Head, saindo do centro comercial V&A Waterfront existem duas linhas: 109 e 101, ambas tem conexão com a linha 107, que nos deixa ao pé do morro para começar a subida. (Desça no ponto Kloof Nek – mapa –).

Dica

Signal Hill é mais recomendado que a da Table Mountain, pois de Signal Hill também avistamos toda a orla, além da própria Table Mountain

O pico que escolhemos para ver o pôr do sol foi o Signal Hill. Quando estiver visitando a Cidade do Cabo não deixe de assistir ao pôr do sol de Signal Hill. Se não curtir caminhar, há um ônibus que leva turistas até o topo e também é possível chegar de carro. A vista é maravilhosa!

 Leve sua cestinha e faça um piquenique por lá. Agasalhos são itens essenciais para suportar o vento forte no local.

table-mountain-jardin-botanico
Jardim Botânico – crédito: Lu Aria
signal-hill-camp's-bay-cidade-do-cabo
Signal Hill visto de Camp’s Bay – crédito: Lu Aria

– Praias 

Muizenberg beach, tem tubarões brancos como inquilinos. Eles rondam pacificamente as águas claras da praia. Mas o mais curioso dali é o sistema de alarme que indica a presença desses animais. 

Do alto do morro um homem observa, com seus binóculos, a aproximação do peixinho (imagina o tamanho) e toca uma sirene estridente a tempo de atear a bandeira branca, essa que indica aos banhistas o perigo da presença dos animais na praia. Tivemos o prazer de vivenciar o momento, curioso e arriscado. 

Ligando uma praia a outra passamos pela estrada Chapman’s Peak. No meio do caminho, quem toma a atenção é a linda Hout Bay, uma baía que abriga tranquilos lobos do mar, e corta, literalmente, as montanhas. Há mirantes em alguns pontos da estrada, que é ladeada pelo azul do mar também.

Em Boulders beach a paz volta a reinar. Na volta da Península do Cabo, há uma parada obrigatória para observar os simpáticos pinguins de Boulders beach. Há também passarelas que nos levam até a praia, que foi escolhida por eles para constituir sua comunidade.

A entrada é cobrada, mas embora o preço seja acessível, há quem vá até a praia através da trilha na mata baixa.

o-que-fazer-na-cidade-do-cabo-muizenberg-beach
Praia da de Muizenberg – crédito: Lu Aria
hout-bay-south-africa-cape-town
Hout Bay – crédito: Lu Aria
boulders-beach-africa-do-sul
Boulders beach – crédito: Lu Aria

– Região das Vinícolas

Constantia Valley é uma região de vinícolas que fica logo após a praia dos pinguins, facilitando dois atrativos no mesmo dia. Groot Constantia é a principal vinícola da região e também a mais bonita. Casarios brancos em meio a plantação de uvas formam o cenário perfeito para o romântico piquenique oferecido por eles em cestas charmosas de vime.

Curiosidade

Na época do Apartheid, toda a produção de vinhos era apenas para consumo dos nativos. Com o final histórico da segregação, os vinhos ganharam o mundo e caíram no gosto dos enólogos mais experientes

Conhecemos também uma importante e charmosa vinícola chamada TOKARA. Nessa vinícola há também oliveiras que possibilitam a produção de deliciosos azeites. Eu, como boa apreciadora de azeites, pude desfrutar da degustação. Demais!

Desfrute ao máximo dos tipos de vinhos que encontrar por lá, alguns deles são raros e difíceis de ser encontrados.

vinicoloa-cidade-do-cabo-africa-do-sul
Vinícola – crédito: Lu Aria
groot-constantia-cidade-do-cabo
Vinícola Groot Constantia: crédito: Lu Aria

Um pouco de história

O que nos vem a cabeça quando falamos em Africa do Sul certamente são as lembranças de nossas aulas sobre o Apartheid.

Um lugar onde houve determinação de zonas para brancos e outras para negros certamente é palco de muita história. Os subúrbios multirraciais foram demolidos e transformados, em 1965, em zona apenas para brancos e/ou europeus, forçando mais de 60.000 pessoas a saírem de suas casas. District Six é o maior deles.

A Cidade do Cabo acolheu muitos líderes de movimentos anti-apartheid, e o mais famoso deles sem dúvidas foi Nelson Mandela, que ficou encarcerado por 27 anos em uma ilha chamada Robben, localizada a apenas 10 km da costa da cidade, que também vale a visita. 

Mandela, fez o discurso que marcou o início de uma nova era e, a partir de então, no dia 27 de abril de 1994, os sul africanos tiveram o privilégio de contar com a primeira eleição livre. Um grande passo para a democracia e para o progresso da África do Sul.

Nós visitamos o museu District Six, muito tocante saber que ali aconteceu uma triste parte da história.

Por fim, concluímos que, embora saibamos de toda a tristeza e revolta que ali aconteceu, a impressão que trouxemos da África do Sul é de que o final dessa historia é feliz. Eu não diria fácil, de maneira nenhuma, mas de acordo com os sorrisos  largos nos rostos dos sul-africanos, vivenciamos e atestamos que de guerreiros alegres, dançarinos e gentis a Cidade do Cabo está farta.

Boralá conhecer de perto esse povo e esse país maravilhoso.

Compartilhar

Deixe sua crítica, comentário e mais DICAS se tiver. BORALÁ!!