1. Parque Estadual do Sumidouro
    Descobrindo Minas Gerais


 

Como já citei no post Cavernas do Peruaçu, o estado de Minas Gerais é sempre procurado para o turismo com enfoque cultural e gastronômico, e claro, isso é uma peculiaridade deliciosa de Minas, rs, mas confesso e repito, fui surpreendida pela natureza exuberante que emoldura Minas Gerais.

Confesso também que aproveitei de todo o resto que faz de Minas um estado famoso, conclusão, comi muito, viajei na cultura e vislumbrei da natureza.

culinaria-mineira
Delicias de Minas Gerais – crédito: Lu Aria
queijo-rural-mg
Vida rural de MG – crédito: Lu Aria

Parque Nacional do Sumidouro 

O Parque Estadual do Sumidouro é uma Unidade de Conservação localizada a aproximadamente 50km da capital mineira, ao norte de Belo Horizonte.

O parque tem aproximadamente 2000 hectares de belíssimas paisagens compostas por grutas, parede de desenhos rupestres e o enigmático sumidouro.

Você pode acessar o Parque Estadual do Sumidouro por dois caminhos diferentes, sendo um deles pela cidade de Lagoa Santa, onde os atrativos principais são – Museu Peter Lund e a Gruta da Lapinha – ou pela cidadezinha de Pedro Leopoldo que abriga a também estruturada casa do bandeirante Fernão Dias.

A visita guiada que se inicia nesse ponto, leva-nos em seguida a Quinta do Sumidouro. A distância entre as duas entradas do Parque Estadual do Sumidouro é de apenas 6km, portanto, se seu meio de locomoção for carro, o trajeto é tranquilo.

parque-estadual-sumidouro
Parque Estadual do Sumidouro – crédito: Lu Aria

Mas antes de mais nada, o que é um Sumidouro?

– Sumidouro é uma espécie de ”ralo”, um ladrão de piscina, porém que que fica em uma parte alagada natural, diríamos uma entrada subterranea para uma gruta ou caverna a partir de um lago.


Como chegar

Transporte

Como citado anteriormente, o Parque Estadual do Sumidouro fica apenas 50 km de Belo Horizonte, para quem sai direto da capital, está a quase uma hora do parque. Mas há a opção de sair também direto do aeroporto Internacional de Confins (B.H.)

Belo Horizonte  →  Lagoa Santa
     – ônibus: Saritur (rodoviária)
     – valor:
 R$ 12.25
     – tempo:
 50 min

 

Belo Horizonte  →  Pedro Leopoldo 
          – ônibusExpresso Unir (aeroporto Confins)
          – valor:
 R$ 4.85
          – tempo:
 15 min

 

Aos viajantes que não pretendem ir de carro, contam com as linhas de ônibus que contemplam o Parque Estadual do Sumidouro.

Da cidade de Lagoa Santa, para o Museu Peter Lund e Gruta da Lapinha há linhas de ônibus – 3002 e 3003 –, para informações sobre os horários convem consultar anteriormente através do site de Lagoa Santa.

Vale saber

A linha 5180 atende as duas portarias.

Da cidade de Pedro Leopoldo, a outra opção de entrada, pela portaria da Casa de Fernão Dias, as linhas são ônibus – 300, 5100 e 5180. Quanto aos horários, consulte o site da Expresso Unir.

 

O que fazer

O Parque Estadual do Sumidouro, como falado a cima, tem duas entradas, e conta com diversos atrativos em cada uma delas. Vamos dividir então os atrativos em 2 partes para poder explicar melhor os atrativos de cada entrada.

Atrativos

Lagoa Santa

  • Museu Peter Lund
  • Circuito Lapinha (Gruta)
  • Escalada
  • Trilha travessia

Pedro Leopoldo

  • Casa Fernão Dias
  • Mirante
  • Pinturas Rupestres
  • Trilha do Sumidouro
P.E. Sumidouro por Pedro Leopoldo

Como fomos de van, especialmente para conhecer ambos os lados do parque, começamos por Pedro Leopoldo, onde fica a casa do bandeirante Fernão Dias, que apresenta boa estrutura e a visita guiada nos leva conhecer quem foi ele e qual a importância de sua existência no Brasil. 

Após a visita e um pouco de história, seguimos uma trilha de fácil acesso sentido ao famoso Sumidouro. As trilhas do Parque do Sumidouro apresentam ótima estrutura ao viajante com degraus conservados e placas de sinalização e informações.

casa-fernao-dias-pedro-leopoldo
Casa de Fernão Dias – crédito: Lu Aria
Mirante do P.E. Sumidouro – crédito: Lu Aria

Nesse trecho há um mirante que permite enxergar uma planície que se perde no horizonte. Depois do mirante, descemos rumo aos pinturas rupestres, que não são tão conservadas como as vistas no nas cavernas do Peruaçu, mas carregam muita história e diferentes tradições também.

Em seguida, neste ponto é que começa nossa grande surpresa. Caminhamos pela mata que cobria-nos até a cabeça sempre orientados pelo gestor do parque, o Sr Rogério, muito gente boa por sinal.

Grutas do P.E. do Sumidouro – crédito: Lu Aria
grutas-parque-estadual-sumidouro
Grutas do P.E. do Sumidouro – crédito: Lu Aria

Fomos preparados para conhecer a parte alagada que se forma ao redor do sumidouro e faz dele um imenso ”lago”, porém, fomos em época de baixa estação e não havia muita água, com isso, nossa impressão de ralo, se foi pro ralo. hehe

O que veio a mente depois era a volta, a alegria foi em saber que nossa van nos esperava na parte baixa do parque o que nos poupou de subir tudo aquilo que havíamos descido. Talvez por isso que a trilha tenha sido leve? rs.

P.E. Sumidouro por Lagoa Santa

Partimos rumo ao outro lado do parque estadual, o lado que abriga o museu de Peter lund e a gruta da Lapinha.

No caminho, um bônus para todos. Fomos até as casas de moradores das pequenas vilas para comprarmos queijo e doces artesanais e assim, pudemos curtir a simplicidade de um povo que merece nosso respeito e admiração.

Depois de uma parada para engorda, chegamos ao museu de Peter Lund, que foi um grande entusiasta Dinamarquês apaixonado pela fauna, flora, grutas da região. O museu é um dos mais bem montados relacionados ao assunto que já vi.

blog-de-viagem-sumidouro
Blogueiros descobrindo mais de MG – crédito: Lu Aria

Nele pudemos conhecer a história de nossos ancestrais através de fósseis, ossos, rochas que ali estão expostos para visitação. Munidos de nossos capacetes, seguimos em direção da Gruta da Lapinha.

As formações rochosas são um espetáculo a parte. Paredões ali, como se tivessem sido recentemente esculpidos, são milenares. A cada olhar um diferente formato, diferentes cores.

Nosso grupo teve a sorte de ser guiado por um gestor de Parque, muito comprometido que a cada detalhe, exalava amor pelo que faz, matando nossas curiosidades com seu conhecimento.

Embora o Sumidouro tenha sumid, recomendamos a visita ao Parque Estadual do Sumidouro. Boralá conhecer mais de Minas Gerais e do que ainda está escondico do nosso Brasil.

pinturas-rupestres-sumidouro
Grupo de blogueiros – crédito: Lu Aria

Onde ficar 

As duas pequenas cidades oeferem a famosa simples e acolhedora hospedagem mineira. Tanto em Pedro Leopoldo quanto em Lagoa Santa você pode encontrar boas pousadas com ótimos preços.

Nós não hos hospedamos em nenhuma cidade, por isso não podemos recomendar uma em específico por nossas próprias experiências, mas podem conferir alguns opções nos links abaixo.


 hospedagem em Pedro Leopoldo – MG

Lembre-se, sempre filtre sua busca. Fique de olho nas promoções e
cancelamento grátis. Não deixe passar, reserve!


Informacões úteis

O Parque Estadual do Sumidouro está aberto para visitação de terça-feira a domingo nos horários das 9h às 16h.

Recomenda-se levar repelente, água potável, capa de chuva em época propícia. Todas as visitas devem ser previamente agendadas para que os condutores organizem-se, pois toda visita exige um guia ou condutor cadastrado.

museu-peter-lung
Museu Peter Lund – crédito: Lu Aria

Valores para ingresso

Gruta da Lapinha + Museu Peter Lund: R$15,00
Museu Peter Lund: R$10,00
Circuito Gruta da Lapinha: R$10,00
Trilha Sumidouro: R$10,00
Pacote Museu, Gruta e Trilha: R$20,00

Foto de capa: Rafale Rodrigues Camargo

Compartilhar

Deixe sua crítica, comentário e mais DICAS se tiver. BORALÁ!!