Cordisburgo (Gruta do Maquiné)
Terra de Guimarães Rosa



 

Cordisburgo, ainda sobre o que o maravilhoso estado de Minas Gerais tem para oferecer.

Realizamos, a convite do Governo de Estado de Minas Gerais, uma presstrip para que pudéssemos conhecer um pouco mais de Minas e seus encantos, assim como já escrevi em posts anteriores como o do Parque Nacional Caverna do Peruaçu e Parque Estadual do Sumidouro.

Nunca tinha ouvido falar da cidadezinha mineira de Cordisburgo, antes de receber via e-mail o itinerário dessa trip, mas assim que recebi, pesquisando descobri que tem menos de 10 mil habitantes e fica á 130 KM de Belo Horizonte.

O que fazer

Fui pesquisar, e pra minha alegria soube que o berço do poeta Guimarães Rosa. Em Cordisburgo está a casa que viveu o grande poeta até os seus 9 anos de idade e que hoje abriga o Museu de Guimarães Rosa.

Suas obras, seus jardins e as dependências da casa estão, em sua maioria, estão reproduzidas como foram na infância do poeta.

A visita culminou na apresentação das adolescentes que compõem o Projeto Contadores de Estorias Miguelim. Encenam voluntariamente e com maestria trechos de obras do poeta mineiro. Muita emoção em cada estrofe.

museu-guimaraes-rosa-cordisburgo
Museu Guimarães Rosa – crédito: Lu Aria
monitores-museu-guimaraes-rosa
Adolescentes que declamam as obras do poeta Guimaraes Rosa – crédito: Lu Aria

Muito próximo ao museu, o bônus que Cordisburgo reservou para nosso grupo. Na mesma rua um estabelecimento ainda fechado guardava a mais agradável surpresa do dia.

Com uma ligação das anfitriãs Carol e Thalita (representantes do SETURSecretaria de Turismo do Governo de Minas Gerais), lá vem ele, o Sr Brasinha.

Sabe aquelas figuras que deveriam ter placa de patrimônio do lugar onde vivem? Pois bem, o ”Seu” Brasinha é digno de se amarrar no pé da mesa e não deixar fugir, rs. Dono de uma inteligência ímpar e sensibilidade notória, esse senhor cativa quem faz a visita a sua ‘‘loja” de antiguidades que nada se vende. Sim, nada está a venda na loja.

Ficaria por alí umas 4 horas e ainda assim não conseguiria enxergar tudo que tem no estabelecimento.

sr.brasinha-cordisburgo
Sr. Brasinha – crédito: Lu Aria

loja.sr.brasinha.cordisburgo

loja-sr-brasinha-cordsburgo
Loja do Sr. Brasinha – crédito: Lu Aria

Cada objeto nos remete ao passado. Desde brinquedos, eletroeletrônico passando por máquinas de escrever e terminando em miudezas. Tudo muito bem conservado e valorizado pelo apaixonado Sr. Brasinha.

Ouví-lo descrever algumas das histórias dos objetos me fez chorar, geralmente pessoas que demonstram sensibilidade e amor pelo que fazem me causam essa reação considerando o mundo e o momento atual.

Aqui não conseguiria descrever, por mais que eu quisesse, como foi estar no seu estabelecimento, por isso, recomendo a visita ao Ave Palavra. Observe no canto direito a fachada na foto abaixo.

cordisburgo-minas-gerais
Cordisburgo, Minas Gerais – crédito: Lu Aria
ave.palavra.sr.brasinha.cordisburgo
Armazem do sr. Brasinha

Gruta do Maquiné

Para fechar nosso longo dia com chave de ouro, partimos para conhecer mais uma gruta de Minas Gerais, a Gruta do Maquiné.

A Gruta do Maquiné tem área aproximada de 12.000m², 650m de salões para desbravar a 18 m de profundidade. A temperatura em seu interior varia de 18 a 22 graus, sempre.

Ao contrário do que se possa pensar, cada uma das grutas que estavam em nosso roteiro tinha sua peculiaridade, e beleza única nos fazendo ter a certeza de que uma não é igual a outra.

Com estrutura muito boa para visitação, iluminação adequada, adentramos em mais essa.

gruta-maquine-mg-cordsiburgo
Gruta do Maquiné – crédito: Telma Lavagnoli
greta-do-maquina
Visita guiada – crédito: Lu Aria

O gestor, Sr Mario foi quem nos conduziu aos lindos salões e com conhecimento de veterano nos fez conhecer desde as delicadas e antiquíssimas formações de estalactites, até um serzinho que lá habita, segundo ele, o único morceguinho hematófago da gruta, um fofo.

Horário de funcionamento da Gruta do Maquiné: 8am às 5pm

 

 

Onde ficar

Nós nos hospedamos em um ótimo hotel que fica na entrada da cidade, tudo organizado pelo SETUR, o Maquiné hotel, mas há opções para todos os gostos e bolsos já dentro da cidadezinha de Cordisburgo.

Onde comer

O restaurante da vez foi o Chero’s, praticamente dentro do parque e serve um delicioso feijão tropeiro entre outras comidas típicas da gastronomia mineira. Há também no mesmo local uma loja de souvenirs caso queira trazer uma boa lembrança de lá.

rest.-cheros-cordisburgo
Restaurante Cheros – crédito: Lua Aria
restaurante-cheros-viagem
Fundo do restaurante – crédito: Lu Aria

Enfim, a visita a Cordisburgo e a Gruta do Maquiné foi incrível, nós, do Borala, super recomendamos!!

 

 

Viajante desde dez. de 2006, já carimbou 4 dos 5 continentes. Tem alguns hobbies como a fotografia, a gastronomia, a vida off-road e curte a pegada de natureza, lugares exóticos e turismo social. Sempre de malas prontas, não perde uma oportunidade de sair por aí!

5 COMENTÁRIOS

  1. Adorei o relato, eu tenho vontade de conhecer a Gruta do Maquiné e a terra de Guimarães Rosa. Parabéns pelas dicas!

Deixe sua crítica, comentário e mais DICAS se tiver. BORALÁ!!