Deserto de Areias Brancas
White Sands – Novo México



 

O Deserto de Areias Brancas foi nosso primeiro atrativo da road trip pelo Velho Oeste Americano. Os primeiros quilômetros dos 5 mil rodados em 17 dias, ponto de partida? AlbuquerqueUSA.

O Parque que é chamado de White Sands National Monument, uma região de areias brancas dentro de um parque gigantesco de paisagem encantadora.

A região deu origem a diversos filmes de cowboy e Faroest. Antes de chegar no parque, passamos por alguns vilarejos que constataram isso; saloons, dust devil, e ninguém nas ruas como cidades fantasmas nos remeteu ao passado. Cidades por onde passou o famoso vilão Billy the Kid (um Racha Cuca da vida real).

Infelizmente foi só de passagem, mas já estamos com a ideia de voltar. 🙂

white-sands-borala
White Sands – credito: Lucas CN
deserto-de-areias-brancas-novo-mexico
Deserto de Areias Brancas – crédito: Lucas CN

Para chegar até o Parque, desembarcamos em Albuquerque, também no estado do Novo México, e de lá alugamos um carro e seguimos viagem.


Leia mais

 

Como Chegar

De Albuquerque até o Parque são 366 Km, feitos em 3:30 minutos, nesse caminho cruzamos algumas cidades como citado anteriormente, algumas só passamos, outras paramos para comprar lembranças e artesanatos.

O Roteiro foi o seguinte:

Albuquerque -> San Antonio -> Carrizo -> Alamogordo -> Derserto Areias Brancas

Saímos da cidade pela highway 25 sentido Sul até o pequeno vilarejo de San Antonio, onde pegamos a estrada 380 sentido Carrizo. Em Carrizo a desértica estrada 70 até Alamogordo, cidade onde se encontra o parque.

Mas para chegar até o parque, ainda foram mais 15 minutos pela rodovia 70 sentido Las Cruces. Com as paradas, levamos mais de 4 horas de Albuquerque até areias brancas.


Veja mais


 

rota-albuquerque-white-sandsmapa
Rota Albuquerque / White Sands

Foi interessante dirigir em um lugar onde as medidas de unidade são diferentes. Embora a direção e o volante sejam do mesmo lado que dirigimos no Brasil.

Como havíamos alugado um carro super confortável, estávamos à 75 m/h (limite das rodovias) achando que estávamos à 75 km/h, devagar, mas na verdade, estávamos bem rápidos aos 120 km/h. Parecia não render mas de fato estávamos acelerando. 

Dica

Se for dirigir pela primeira vez, atente-se na estrada. Eles usam MILHAS não quilômetros, tantos nas placas quanto nos velocímetros. 


Onde ficar

Nós saimos de Albuquerque e no mesmo dia passamos pelo deserto de areias brancas e seguimos em frente até Tucson, já no estado do Arizona. No total foram 12 horas de estradas no mesmo dia.

Mas se você não quiser embarcar nessa loucura, a cidade mais próxima do parque White Sands é Alamogordo. Reservando com antecedência tem hotel por 120 reais a noite.

Caso queira continuar um pouco a rota para o Arizona, logo após a cadeia de montanhas Organ encontra-se a cidade Las Cruces, onte terá uma opção mais vasta de hospedagem e restaurantes, claro, bem apimentado. 🙂


Veja mais

 hospedagem em Alamogordo

 hospedagem em Las Cruces

Lembre-se, sempre filtre sua busca. Fique de olho nas promoções e
cancelamento grátis. Não deixe passar, reserve!


– White Sands National Monument

 

visitor-centre-white-sands
Centro de visitantes – crédito: Lucas CN
deseto-areias-brancas-white-sands-new-mexico
Dunas de areias brancas – crédito: Lucas CN

Assim como qualquer outro parque na terra dos gringos, Areias Brancas tem uma estrutura incrível. Já na chegada um grande centro de visitantes com loja de souvenir lhe aguardam.

O centro de visitantes conta também como uma espécie de múseu, onde explicações interativas mostram com detalhes a formação do deserto e o porque das areias brancas – basicamente o mesmo princípio que o salar do Uyuni, na Bolívia – .

O valor da entrade é de 15 dólares adulto, criança menor de quinze anos não paga. Nós tivemos ”sorte” e não fomos cobrados por ser fim de semana. Não sei dizer se é sempre assim ou porque era fim de temporada, mas agradecemos e seguimos em frente.

Uma vez dentro do parque, dirigimos poucos metros pavimentos até entrar no chão de areia, mas acessível para qualquer tipo de carro.

Para fazer a volta completa pelo Loop são necessários 45 minutos, mas é claro que gastamos mais de 3 horas no parque, pois parar e caminhar pelas dunas é obrigação.

deerto-areias-brancas
White Sands National Monument – crédito: Lucas CN
Dica

É de extrema importância entrar no parque com (muita) água, principalmente se for caminhar pelas dunas 

Em 2015 um casal de franceses perdeu a vida por desidratação após se perderem nas dunas. Por se tratar de um deserto, depois de duas dunas fica muito fácil se perder, a paisagem é a mesma, se não prestar atenção ao redor no relevo, facilmente se perderá.

O parque nem sempre estará aberto, pois a região é também palco de teste de mísseis das forças armadas, por esse motivo o parque fecha por cerca de três horas. O dia e a hora não são os mesmo, mas os horários se encontram no site do parque White Sands

A rota toda tem muitos pontos de paradas para fotografias e caminhadas, mas o bonito mesmo é com a luz do fim da tarde, com sorte ainda você pega também lua cheia.

Deixamos o parque exatamente no fim da tarde com destino a Phoenix, longas horas de estradas nos esperavam, mas a lembrança do lugar e do por do sol naquele relevo ficará para sempre.

Curiosidade

 Em 1945 a região entrou para a história mundial sendo alvo do primeiro teste de bomba nuclear já realizado no planeta

deserto-areias-brancas
Deserto Areias Brancas – crédito: Claudia B.
white-sands-national-monument-new-mexico
White Sands – crédito: Lucas CN
deserto-areias-brancas
Yuccas do desertos – crédito: Lucas CN
borala-deserto-areias-brancas- novo-mexico
Boralá – crédito: Claudia B.

Quando ir

A melhor época para visitar White Sands National Monument / Deserto de Areias Brancas é durante o outono e inverno norte americano, de setembro até março.

A primavera pode ter dias lindos também, porém com muito vento, mas é quando as flores toman contado do cenário branco. Eveite o verão, as temperaturas são extremas e perigosas.


Leia mais


road-trip-usa-california-arizona-utha
Leia mais
festival-desert-trip-2016
Leia mais
rota-cerveja-canada
Leia mais
camping-acamapmento-canada
Leia mais
roteiro-personalizado
Leia mais
albuquerque-new-mexico
Leia mais

 

 

Turismólogo de profissão, Lucas é o faz de tudo no Boralá (inclusive escrever em 3ª pessoa, rs), desde montar o site, otimizar os texto, tratar cada foto, mídia social etc... Lucas se diverte criando, escrevendo e claro, viajando.

24 COMENTÁRIOS

  1. Puxa, que demais! Adorei o post, as dicas e as fotos…
    Uma pena mesmo é só não termos uma infraestrutura parecida aqui no Brasil, que também tem parques e regiões lindas né?
    Abs

  2. Cara, você fez algo que eu quero muito fazer: uma roadtrip completa! Espero em breve tirar isto do papel, e, pode ter certeza que considerarei fazer o mesmo roteiro que o seu! Parabéns pelo post, este lugar é sensacional!

  3. Incrível e deslumbrante!!! me lembrou vários lugares diferentes e ao mesmo tempo se destaca por ser uma paisagem muito única. E eu achando que só me faltava o Yellowstone nos states pra fechar meu bucket list de parques!! Acaba de entrar mais um pra lista 🙂

    • Eu sei bem como é, saímos para ver o Grand Canyon e vimos deserto branco, cratera de meteoro, vulcão etc…
      E tem muito mais ainda para ver, já não vejo a hora de novo!! 🙂

      Obrigado pela visita Camilla!

Deixe sua crítica, comentário e mais DICAS se tiver. BORALÁ!!